;

BLOGS

Um governador gay e não um gay governador

O governador do Rio Grande do sul Eduardo Leite (PSDB) que é presidenciável, afirmou ontem no programa do global Pedro Bial que “Nesse Brasil, com pouca integridade, nesse momento, a gente precisa debater o que se é, para que fique claro e não se tenha nada a esconder. Eu sou gay, e sou um governador gay. Não sou um gay governador, tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro, e tenho orgulho disso”.

 

A revelação feita tem que ser analisada do ponto de vista eleitoral pois  se tratou de uma declaração objetivando atrair o eleitorado LGBTQI+ para sua candidatura a Presidente da República e nesta toada destaco alguns pontos:

Primeiro- A opção sexual de cada um deve ser sempre respeitada e revelar ou não é questão de ordem infinitivamente pessoal. O governador ao reverberar da forma como fez foi mais contraditório e homofóbico ainda, pois qual é mesmo a diferença entre ser um governador gay e um gay governador? Ora, nenhuma, se for um bom governador de projetos e realizações para a população já é satisfatório e se não for merece todas as criticas e rejeição por parte do eleitorado. Por outro lado a questão Gay só ele pode se sentir feliz ou não. Aqui é só com ele. O eleitorado vota em uma pessoa para governar seu Estado para todos e ponto.

Segundo- O debate presidencial jamais pode ser reduzido a ser homo ou heterossexual, pois um governante deve gostar de ser humano, de gente, pois em tempo de pandemia, ou pòs- pandemia quando teremos eleito um próximo governo, os problemas estruturais do País serão enormes, não dá para colocar questões pessoais no centro do debate como fez o governador do Rio Grande do Sul, precisamos de uma pessoa competente e equilibrada independente de sua opção pessoal/sexual.

Terceiro- O Eduardo Leite foi de extrema infelicidade quando  comparou a questão Gay a cor da pele e atingiu  quem  é negro ao afirmar em referência a sua condição pessoal  que “ tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro, e tenho orgulho disso”.

Vejam que “gororoba” ,  Barack Obama foi um só, um presidente negro ou negro Presidente, foi uma pessoa, um ser humano altamente preparado  que chegou a Presidência dos EUA. O que tem haver  a questão Gay com a condição de  negro ou branco ou pardo?

Espero que o debate seja de altíssimo nível e não no tom  que o governador Eduardo Leite( PSDB) pretendeu “cantar. O Brasil precisa de um Estadista que respeite o ser humano, seja equilibrado e tenha um projeto de nação.

 

 

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *