;

BLOGS

Eleição em Campo Grande surpreendeu com o resultado de 9 votos

Quem esteve na cidade de Campo Grande, agreste de Alagoas, ficou surpreso com o resultado que deu vitória – novamente – ao grupo do ex-prefeito Arnaldo Higino (PP).

Com esta eleição, a família Higino acumula seis vitórias na pequena cidade com a conquista nas urnas do vereador e – agora – prefeito eleito, Téo Higino (Republicamos).

A diferença de nove (9) votos em cima do candidato derrotado, Cícero Pinheiro (MDB), ainda está sendo discutida por aliados do “quase” prefeito do município.

Pinheiro, antes do resultado final, já comemorava sua vitória pelas ruas da cidade, inclusive, com mensagens de parabéns – nas redes sociais – até do governador Renan Filho (MDB).

Porém, hora depois, o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) concluiu a eleição suplementar confirmando o resultado total.

Com isso, Téo Higino (Republicanos) obteve 3.270 votos (49,83%), Cicero Pinheiro (MDB) com 3.261 votos (49,70%) e Inês (PSD) apenas 31 votos (0,47%).

Dos 8.194 eleitores aptos a votar, 6.825 compareceram às urnas (83,29%) e 1.369 (16,71%), não votaram. Apenas 61 eleitores (0,89%) votaram em branco e 202 eleitores (2,96%) anularam o voto.

Portanto, o ex-prefeito Arnaldo Higino (PP) se fortalece com o resultado e se mantém com o poderio político na região e no comando da Prefeitura até 2024. Afinal, além de Campo Grande, a família Higino também administra Olho d’Água Grande, cidade vizinha, com a prefeita Suzy Higino (PP).

É isto!

#VidaQueSegue

Compartilhe:

1 Comentário

  • Martha Hirsch Aulete disse:

    A frente de tudo a qualidade de 1ª. Estética.

    O Jogo de Cartas da Educação Infantil:

    Seria o bom gosto nas escolas. Tal qual Tarkovsky. Ou como o cinema antigo (de qualidade brasileiro).

    Eis: 1º lugar educação dos mais jovens, para se ter solidez no futuro próximo.
    Necessitamos muito de bons hospitais. E escolas boas para os curumins.

    Precisamos de alta-cultura. Alta literatura; Kafka, Drummond, Dostoievski, Machado de Assis, Aluísio Azevedo do Maranhão. De arte autônoma. E educação verdadeira nas escolas dos pequenos. O que não houve.

    O Brasil vive consequência de nosso passado político bem atual (2 décadas).
    Fome, falta de moraria, atraso, breguices, escolas ruins, falta de hospitais: concreto…
    O resto são frasinhas® poderosas:

    Eis aí a pura e profunda realidade sociológica e filosófica:
    A “Copa das Copas®” do PT® em vez de se construir hospitais, construiu-se prédios inúteis! A Copa das Copas®, do PT© e de lula©.

    Nada se fez em 13 anos para esse mal brasileiro horroroso. Apenas propagandas e propagandas e publicidade. Frasinhas.

    Qual o poder constante da propaganda ininterrupta do PT®?
    Apenas um frio slogan, o LUGAR DE FALA do Petismo® (tal qual “Danoninho© Vale por Um Bifinho”/Ou: “Skol®: a Cerveja que desce Redondo”/Ainda: “Fiat® Touro: Brutalmente Lindo”). Apenas signos dessubstancializados. Sem corporeidade.

    Aqui a superficialidade do PETISMO®:
    Signos descorporificados. Sem substância. Não tem nada a ver com um projeto de Nação. Propaganda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *