;

BLOGS

Brasil é selecionado para a mostra Panorama do Festival de Berlim 2021

O documentário “A Última Floresta”, dirigido por Luiz Bolognesi, vai participar da mostra Panorama, a isócrona mais aclamada do Festival Internacional de Cinema de Berlim (Berlinale 2021), que terá sua edição online de 1 a 5 de março.

O diretor retorna ao festival onde exibiu o premiado “Ex-Pajé”, em 2018. O jornalista, roteirista, produtor e cineasta Luiz Bolognesi e o escritor, xamã e líder político David Kopenawa Yanomami assinam em conjunto o roteiro de ‘‘ A Última Floresta’’. O filme é extremamente importante e necessário, denuncia o descaso com as comunidades indígenas ao longo dos últimos séculos, agravado nas últimas décadas pela negligência do governo federal e recentemente com a pandemia global do Covid-19.

Ao todo foram selecionados 19 filmes, grande parte destes filmes é de países da Europa. Segundo Michael Stütz, coordenador da mostra, 2020 foi um ano caracterizado por um cinema político combativo.

“Os olhares cinematográficos de cineastas fortes, o novo cinema crítico do Oriente Médio, bem como narrativas indígenas estão definindo pontos focais claros na Panorama. Os cineastas estão assumindo uma posição com suas observações, refletindo sobre os conflitos individuais e traumas coletivos, ao mesmo tempo em que questionam as relações de poder político e interpessoal e desafiam outros a reagirem”, complementou Stütz.

O Festival também anunciou os filmes da mostra Encounters com 12 títulos de 16 países. E os seis títulos da Perspectiva Kino (cinco da Alemanha e uma coprodução Alemanha e França).

OS FILMES DAS MOSTRAS FÓRUM E DE CURTAS-METRAGENS

O Festival também divulgou nessa terça feira (9), os filmes selecionados para a 51ª edição da Fórum, da Forum Expanded (que inclui instalações) e da Berlinale Shorts (curtas metragens). Com 17 filmes e dando um espaço maior para diretores em início de carreira, a maioria dos títulos da Fórum como sempre vem de países do velho continente Europa. O Brasil tem como representante o filme “Se Hace Camino al Andar”, de Paula Gaitán, que integra a lista de Instalações da Fórum Expanded. E na Fórum participa como coprodutor com o argentino “Esquí”, de Manque La Banca, que investiga as relações trabalhistas numa estação de esqui de Bariloche.

20 filmes de 17 países, com diversas línguas e gêneros cinematográficos foram selecionados para a mostra de curtas-metragens. O Brasil estará representado pelos cineastas Bárbara Wagner e Benjamin de Burca que foram selecionados pelo filme ‘‘ One Hundred Steps’’, produção franco-alemã.

Anna Henckel-Donnersmarck, coordenadora da mostra, comentou que a arte – e o cinema em particular – nos permite ver o mundo através de diversos olhares.

“Isso nos ajuda a experimentar a realidade através de várias percepções. Ao mesmo tempo, incorpora outro som, o da audiência; assim, o que é dito pode encontrar eco e continuar a reverberar”, ressalta Anna.

Os títulos da mostra Panorama

Censor, de Prano Bayley-Bond – UK
Death of a Virgin, and the Sin of Not Living, de George Peter Barbari – Líbano
Dirty Feathers, de Carlos Alfonso Corral – EUA/México
Genderation, de Monika Treut – Alemanha
Glück, de Henrika Kull – Alemanha
Kelti, de Milica Tomovic – Sérvia
Human Factors, de Ronny Trocker – Alemanha / Itália / Dinamarca
Miguel’s War, de Eliane Raheb – Líbano / Alemanha / Espanha – Panorama Documenta
All Eyes off Me, de Hadas Ben Aroya – Israel
Le Mond Après Nous, de Louda Ben Salah-Cazanas – França
Night Raiders, de Danis Goulet – Canada / Nova Zelândia
North by Current, de Angelo Madsen Minax – EUA – Panorama Documenta
Brother’s Keeper, de Ferit Karahan – Turquia / Romênia
Souad, de Ayten Amin – Egito / Tunísia / Alemanha
Ted K, de Tony Stone com Sharlto Copley – EUA
Théo et les metamorphoses, de Damien Odoul – França
A Última Floresta, de Luiz Bolognesi – Brasil
Copilot, de Anne Zohra Berrached – Alemanha / França
Yuko No Tenbin, de Yujiro Harumoto – Japão

Mostra Fórum

À pas Aveugles, de Christophe Cognet – França / Alemanha
Anamnesis, de Chris Wright e Stefan Kolbe – Alemanha
Tzarevna Scaling, de Uldus Bakhtiozina – Federação Russa
Esquí, de Manque La Banca – Argentina / Brasil
The First 54 Years – Na Abbreviated Manual for Military Occupation, de Avi Mograbi – França / Finlândia / Israel / Alemanha
Night Nursery, de Moumouni Sanou – Burkina Faso
The Inheritance, de Ephraim Asili – EUA
Como Here, de Anocha Suwichakornpong – Tailândia
Just a Movement, de Vincent Meessen – Bélgica / França
Mbah Jhiwo, de Alvaro Gurrea – Espanha
No táxi do Jack, de Susana Nobre – Portugal
Qué será del verano, de Ignacio Ceroi – Argentina
A River Runs, Turns, Erases, Replaces, de Shengze Zhu – EUA
The Good Woman of Schuan, de Sabrina Zhao – Canada
Ste. Anne, de Rhayne Vermette – Canada
Taming the Garden, de Salomé Jashi – Suiça / Alemanha / Georgia
La Veduta Luminosa, de Fabrizio Ferraro – Itália / Espanha

Mostra Fórum Expanded

Black Bach Artsakh, de Ayreen Anastas e Rene Gabri – República de Artsakh
Play, de Prapat Jiwarangsan – Tailândia / Singapura
Seven Years Around the Nile Delta, de Sharief Zohairy – Egito
Songs of the Shirt, de Kerstin Schroedinger – Alemanha
Lost on Arrival, de Polak Van Bekkum – Holanda
Fury is a Feeling Too, de Cynthia Beatt – Alemanha
Night for Day, de Emily Wardill – Portugal
13 Ways of Looking at a Blackbird, de Ana Vaz – Portugal
Autotrofia, de Anton Vidokle – Itália
The Coast, de Sohrab Hura – Índia
May, June July, de Kevin Jerome Everson – EUA
Bicentenario, de Pablo Alvarez Mesa – Colômbia
The Red Filter is Withdrawn, de Minjung Kim – República da Coréia
Mudança, de Welket Bungué – Alemanha / Portugal
After Life Followed by Red Impasto Jar, de Jonna Kina – Finlândia
Kapita, de Petna Katondolo – EUA
Fatherland, de Moritz Siebert – Alemanha
Ahorita Frames, de Angelika Levi – Alemanha

Fórum – Instalações

All of Your Stars are But Dust on my Shoes, de Haig Aivazian – Líbano
Black Beauty: For a Shamanic Cinema, de Grace Ndiritu – Espanha / UK/Bélgica
Those Who Do Not Drown, de Naeem Mohaiemen – Índia / Japão / Suiça
Medicine and Magic, de Thirza Cuthand – Canada
Se Hace Camino al Andar, de Paula Gaitán – Brasil
Under the White Mask: The Film that Haessaerts Could Have Made, de Mathias De Groof – Bélgica
The Song of the Shirt, de Kerstin Schroedinger – Alemanha
Voices and Shells, de Maya Schweizer – Alemanha
The Wake, de The Living and the Dead Ensemble – Haiti / França / UK
The Zama Zama Project, de Rosalind Morris – EUA / África do Sul / Canada

Curtas-metragens

Al Motociclista no le cabe la Felicidad en el Traje, de Gabriel Herrera – México
Les Attendants, de Truong Minh Quý – França – Singapura
Blastogenese X, de Conrad Veit e Charlotte Maria Kätzl – Alemanha
Deine Strasse, de Güzin Kar – Suíça
Easter Eggs, de Nicolas Keppens – Bélgica / França
Glittering Barbieblood, de Ulu Braun – Alemanha
International Dawn Chorus Day, de John Greyson – Canada
A love Song in Spanish, de Ana Elena Tejera – França / Panamá
Luz de Presença, de Diogo Costa Amarante – Portugal
More Happiness, de Livia Huang – EUA
Nanu Tudor, de Olga Lucovnicova – Bélgica / Portugal/ Hungria
One Hundred Steps, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca – França / Alemanha
One Thousand and One Attempts to Be an Ocean, de Wang Yuyan – França
Rehearsal, de Michael Omonua – Nigéria
Si t’as un Coeur, de Émilie Vandenameele – França
Strange Object, de Miranda Pennell – UK
Vadim on a Walk, de Sasha Svirsky – Federação Russa
Ventana, de Edgar Jorge Baralt – EUA
Day is Done, de Zhang Dalei – China
Zonder Meer, de Meltse Van Coillie – Bélgica

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *