;

NOTÍCIAS

In:

Raio de saudade

Por Laurentino Veiga

Às vezes faltam gavetas para guardar tanta saudade (Yêda Shumaltz). O Poeta da Saudade legou à posteridade: Se você plantar saudade/ Ferva bem a semente/ Plante num lugar bem seco onde o Sol seja bem quente/Porque se plantar no molhado / Quando crescer mata gente.

Aurilene Morais da Veiga nasceu na terra dos Marechais, no dia 03 de agosto de 1949. Cuidava dos animais, das flores que plantou em seu jardim. Ainda hoje exalam o perfume de sua doçura. Acreditava na ciência do Espiritismo. Admirava os Beatles e Babra Streisand. Amava a música My Way de Franklin Sinatra, o Anjo de olhos Azuis : ” I’ve lived a life that’s full / I traveled each and every highway / Ande more, much more/ I did it, I did it may way”.

Exímia Professora de Inglês na antiga FADIMA. Lecionou na rede privada e Pública Estadual, onde se aposentou condignamente. Exerceu com maestria a profissão de advogada junto à Corte do TRT-AL. Tendo sido elogiada pelas colegas pelo grau de proficiência. Foi meu Porto Seguro. Fernando Pessoa (1888 -1935) escrevera: Todo cais é uma saudade de pedras. Naveguei em mares calmos, fertilizados pelo seu amor incomensurável.

Minha primogênita Vanessa Pollyana, lente da Seune – FAMA – seguiu seus passos no Ensino Superior. Advogada caçula Vanissa Veiga também herdou seus dotes jurídicos. Os netos Hugo Daniel e Kennedy Veiga continuam a amando. Enquanto o vetusto esposo, ensinei no Centro Universitário CESMAC durante 25 anos Economia.

Um Raio de Saudade que atingiu meu coração, deu-me a dimensão da aspiral sentimental. Jamais esquecerei o que fez por mim. Meus queridos compadres John e Rosinha Ab’s, testemunharam essa história de amor. União perfeita de 51 anos de convivência comum. Viveu.

Conquistou o lugar merecido na sociedade maceioense. E, sobretudo, pautou sua correta trajetória, com ética, lisura e honestidade. No dia 03 de agosto do fluente ano, minha inolvidável consorte Aurilene Morais da Veiga iria completar 73 anos de existência. Infelizmente, vitimada de infarto no miocárdio, veio a falecer na madrugada do dia 01 de fevereiro de 2021. Às vésperas de meu aniversário.

Diuturnamente, rezo pela sua bondosa alma. Suplico à Nossa Senhora da Conceição, Sua Madrinha, que dê amparo eterno na sua morada definitiva. Juntamente com as almas de meu querido filho Francis Lawrence, do inesquecível irmão economista-advogado Cícero Veiga, minha cunhada Terezinha Cabral e ao meu cunhado Ariosto Araújo. A saudade que sinto é feita de lembranças eternas.

Nesse sentido, continuo a viver minha solidão. Ao lado da Família, renovo minhas forças para seguir em frente do itinerário traçado por ela. Foi o TUDO para mim. Resta-me tão-somente chorar sua partida precoce. Afinal, voltou à Casa do Pai Eterno após ter cumprida sua sublime missão. Descanse em Paz Aurilene Morais da Veiga!

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *