;

NOTÍCIAS

In:

Curta-metragem alagoano “A Barca” é finalista da 20° edição do Grande Prêmio de Cinema Brasileiro

Por Camylla Thomasya

Considerada uma das mais importantes premiações do audiovisual em nosso país, o Grande Prêmio de Cinema Brasileiro de 2021 selecionou entre os seis finalistas o curta-metragem alagoano “A Barca”, dirigido por Nilton Resende na categoria Melhor Curta-Metragem Ficção. A lista com as produções selecionadas foi divulgada pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Visuais.

O filme, que se baseia no conto “Natal na Barca” da escritora brasileira Lygia Fagundes Telles, se passa em meio a uma travessia de barco em plena noite de Natal, numa lagoa escura e gélida, duas mulheres abordam temáticas profundas sobre os mistérios da vida e da morte. Uma delas carrega um bebê e a outra questiona tudo à sua volta. Um acontecimento inesperado ao fim da travessia é o ápice do enredo, ainda podem ser reconhecidas referências à mitologia grega, numa mistura de fantasia e realidade. O elenco é composto por Ane Oliva, Wanderlândia Melo, Aline Marta, Yan Claudemir e Rogério Dyaz.

“A barca” já havia atraído olhares aqui mesmo em Alagoas, a estreia em janeiro de 2020 na Mostra de Cinema Tiradentes, integrando a Mostra Foco foi apenas a primeira conquista das muitas que viriam. O curta, que percorreu mais de 80 festivais em 20 países, atualmente já recebeu 30 prêmios e alcançou lugares como o Festival de Cinema de Havana, o Bolton Festival, o Fantaspoa, o Curta Brasília e o Curta Cinema. Também foi contemplado no IV Edital de Incentivo à Produção Audiovisual em Alagoas, de iniciativa do Governo de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

Nilton Resende atua no audiovisual desde 2005, mas para além da direção ele também é roteirista, escritor, preparador de elenco e professor da Universidade Estadual de Alagoas. Nilton é um escritor nato, ele escreve poemas, contos e outros textos desde 1998, publicou vários livros, entre eles o Diabolô, de 2011. Em sua conta do Instagram, ele publicou: “Estarmos na final do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é uma alegria enorme e é, também, uma mostra de como o cinema alagoano tem estado cada vez mais maduro e visível. E tais maturidade e visibilidade advêm do trabalho e da luta de todos que fazem e fizeram o nosso cinema, desde o seu começo. Advém das políticas públicas e democráticas pelas quais nós tanto lutamos, desde a campanha do Quebre o Balcão até os dias atuais. Então, por esta indicação, agradeço à Lygia Fagundes Telles, atual decana da literatura brasileira, por sua obra manancial; às pessoas que votaram em nós; e a todos que estão inscritos na história do cinema produzido em Alagoas. Se A BARCA nos diz que, em alguns momentos, podemos ver morte onde há vida ou podemos ver vida quando tudo em torno aponta para a morte, as pessoas do cinema alagoano dizem o mesmo, embarcando numa longa e interminável jornada de esperança por dias melhores.”, escreveu.

Além do curta alagoano, concorrem ao prêmio: 5 Estrelas, de Fernando Sanches; Egum, de Yuri Costa; Perifericu, de Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira; Receita de Caranguejo, de Issis Valenzuela; e República, de Grace Passô. A premiação será transmitida ao vivo pela TV Cultura, no dia 28 de novembro, às 20h.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *