;

NOTÍCIAS

In:

Mostra de cinema de SP: veja os melhores filmes gratuitos pra assistir online

Em sua 45ª edição, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo conseguiu driblar as adversidades e reunir 264 produções, que começaram a ser exibidas, no dia 20, em 15 salas pela cidade. Mas o tradicional evento, que ano passado precisou ser realizado integralmente digital, não esqueceu de oferecer atrações no formato online.

Além das produções exibidas pela Mostra Play (com ingressos pagos), ao todo, 26 filmes estarão disponíveis gratuitamente nas plataformas Sesc Digital e Itaú Cultural Play.

A Mostra SP selecionou 156 e os disponibilizou nas plataformas Mostra Play (com ingressos pagos), Sesc Digital e Itaú Cultural Play, ambas gratuitas.

Na plataforma Mostra Play, após a aquisição dos ingressos, o espectador cria sua biblioteca e então terá três dias para assistir aos títulos escolhidos e 24 horas a partir do acesso a cada um. Os filmes da seleção só poderão ser vistos até as 23:59 do dia 3 de novembro. O valor é de R$ 12.

Mais informações estão no site de Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Programação de filmes gratuitos para ver no online, as sinopses são as fornecidas pela equipe da Mostra de Cinema SP:

Itaú Cultural Play

SEGUNDA, 25

Antígona 442 a.C., de Maurício Farias (Brasil)
Na Grécia antiga, uma jovem princesa enfrenta a ordem do rei, que determina que um de seus irmãos que lutou na guerra fique sem sepultura. Antígona enterra o irmão e, por isso, paga com a própria vida. O ato de Antígona é sagrado, obedece à lei humana de cuidar dos nossos mortos. O ato de Creonte, o rei, é um ato político, uma punição. Quem está com a razão? Inspirado na peça teatral de Sófocles.

TERÇA, 26

O Melhor Lugar do Mundo É Agora, de Caco Ciocler (Brasil)
Um filme que se utiliza da própria premissa da atuação, do jogo entre o real e a ficção, para imaginar um mundo em que o isolamento tornou a arte impossível e o artista, inútil.

QUARTA, 27

Meu Tio José, de Ducca Rios (Brasil)
A história acontece a partir do assassinato de José Sebastião Rios de Moura, membro do grupo de esquerda Dissidência da Guanabara. Ele participou do sequestro do embaixador americano Charles Elbrick, em 1969, e permaneceu exilado por dez anos até voltar ao Brasil para ser morto em um crime com fortes evidências de motivação política e que ainda hoje não foi solucionado. O conflito principal se desenrola por conta de uma redação que o garoto Adonias, sobrinho de José, tem que escrever. A tarefa é pedida no mesmo dia em que o tio sofre o atentado, em 1983, em Salvador, sendo levado ao hospital em estado grave. Daí em diante, Adonias tem de lidar com a tristeza da família, com as desavenças na escola e com a angústia de cumprir a tarefa pedida pela professora Adriana.

QUINTA, 28

O Circo Voltou, de Paulo Caldas (Brasil)
A trajetória de um dos maiores mestres circenses do Brasil, Zé Wilson, em regresso à sua cidade natal, no sertão de Alagoas, quando, junto de sua trupe, ele revisita a própria história e a história do circo no Brasil.

SEXTA, 29

Memória Sufocada, de Gabriel Di Giacomo (Brasil)
Coronel Ustra (1932-2015) é o único militar condenado como torturador durante a ditadura. Hoje, ele é exaltado como um herói. Mas qual é a verdade? Por meio de buscas pela internet, o passado do Brasil vai sendo reconstruído e esbarra no presente.

SÁBADO, 30

Tarsilinha, de Celia Catunda, Kiko Mistrorigo (Brasil)
Tarsilinha é uma garota de 8 anos de idade que embarca numa jornada fantástica para recuperar as memórias da mãe. Para isso, ela precisa encontrar objetos muito especiais: as lembranças que foram roubadas. No percurso, Tarsilinha verá coisas incríveis e fará amigos. Mas também terá que enfrentar medos, superar obstáculos e voltar para casa em segurança com todas as lembranças. O filme é inspirado na vida e na obra da artista visual brasileira Tarsila do Amaral (1886-1973).

TERÇA, 2/11

SARS-CoV-2 – O Tempo da Pandemia, de Eduardo Escorel, Lauro Escorel (Brasil)
Sete médicos e especialistas em saúde pública aceitam a missão de combater a pandemia, trabalhando voluntariamente. Essa tarefa imprevista nas carreiras de Paulo Chapchap, Maurício Ceschin, Gonzalo Vecina, Drauzio Varella, Sidney Klajner, Eugênio Vilaça e Pedro Barbosa é comentada por eles. Além de acompanhar esse comitê, o documentário traz relatos de profissionais da linha de frente, atuantes em São Paulo e Manaus, sobre a experiência de ir ao encontro da Covid-19 para cuidar de pacientes e idosos.

Sesc Digital

A PARTIR DE TERÇA, 26

A Arte da Memória, de Rodrigo Areias (Portugal, Brasil)
A arte da memória é uma técnica clássica que associa imagens a lugares por meio de um processo de lembrança e significação. A partir da memória de locais e do seu contexto, o documentário mergulha no processo criativo de três artistas visuais contemporâneos: Daniel Blaufuks, Pedro Bastos e José Rufino. Apesar das diferentes abordagens de expressão de cada autor, encontramos pontos de comunicação na forma como a memória opera em suas obras. Ao vasculhar os acasos e a desordem, chegamos à mitologia pessoal do diretor, assumindo que a memória é uma ficção como qualquer filme.

Arquipélago, de Félix Dufour-Laperrière (Canadá)
Um filme de animação real sobre ilhas inventadas. Sobre um território físico, imaginário, linguístico e político. Sobre um país real ou sonhado -ou algo entre essas duas coisas. Composto por desenhos e depoimentos, o longa imagina um lugar e seus habitantes, contando e sonhando um pouco do nosso mundo e do nosso tempo.

Caminho Incerto, de Pau-Pablo García Pérez de Lara (Espanha)
O fim da produtora de cinema Eddie Saeta, de Luís Miñarro, em 2015, é o ponto de partida deste documentário. Pablo García Pérez de Lara, diretor de um dos primeiros filmes de sucesso da Eddie Saeta, Fuente Álamo, decide registrar esse momento, enquanto olha também para si mesmo, refletindo sobre sua trajetória pessoal e a carreira de cineasta. Juntamente com Apichatpong Weerasethakul, Pedro Costa e o próprio Miñarro, o realizador empreende uma jornada pelo limiar onde a vida e o cinema se entrelaçam.

Errantes – Uma História Rohingya, de Olivier Higgins, Mélanie Carrier (Canadá)
Em poucos meses de existência, o campo de refugiados de Kutupalong se tornou o maior do tipo no mundo. Fugindo do genocidio em Mianmar, 700 mil pessoas da minoria muçulmana rohingya buscaram asilo em Bangladesh em 2017. Reféns de uma crise humanitária pouco divulgada, Kalam, Mohammad, Montas e outros exilados querem ser ouvidos. Entre poesia e pesadelos, distribuição de comida e jogos de futebol, eles relatam sua realidade, seu cotidiano e os fantasmas que habitam suas memórias.

Filme, o Registro Vivo de Nossa Memória, de Inés Toharia (Espanha, Canadá)
Por que ainda somos capazes, hoje, de assistir a imagens que foram capturadas há mais de 125 anos? À medida que entramos na era digital, o patrimônio audiovisual parece ser um fato seguro e óbvio. No entanto, muito do cinema e da nossa história filmada já se perdeu para sempre. Arquivistas, técnicos e cineastas de diferentes partes do mundo explicam o que é a preservação audiovisual e contam o porquê ela é necessária. O documentário é uma homenagem a todos esses profissionais e ao seu importante trabalho.

Impasse, de Vinko Möderndorfer (Eslovênia, Sérvia, Macedônia do Norte)
Um encontro entre dois casais de classes sociais opostas e que, aparentemente, nada têm em comum. No entanto, um acidente e um acontecimento trágico unem o destino dessas pessoas durante uma noite -e provavelmente pelo resto da vida.

A PARTIR DE SEXTA, 29

Estrada para o Éden, de Bakyt Mukul, Dastan Zhapar Uulu (Quirguistão)
Kubat Aliev é um escritor aposentado que está vivendo seus últimos dias de fama e pobreza em uma sociedade que se preocupa cada vez mais com riqueza. Viúvo e sem filhos, seu único desejo é que a literatura continue a iluminar seu pequeno e desiludido país. Ele vê a possibilidade da continuidade de seus ideais em Sapar, um jovem amigo e talentoso escritor. No entanto, o rapaz está muito doente e precisa de um tratamento caro. Quando Kubat decide vender seu apartamento para salvar a vida de Sapar, ele descobre que seu irmão mais jovem foi espancado por conta de suas dívidas. Kubat, então, fica dividido entre ajudar Sapar e proteger seu parente.

Fantasmas, de Azra Deniz Okyay (Turquia, França, Catar)
Em Istambul, às vésperas de um apagão nacional da rede elétrica, quatro personagens estão em um bairro que passa por um processo de gentrificação: uma mãe cujo filho se encontra na prisão, uma jovem dançarina, uma artista feminista e um esperto negociador. A história deles se cruza durante uma transação de venda de drogas, nessa fábula sobre a geração turca contemporânea.

O Jovem Caçador de Baleias, de Philipp Yuryev (Rússia, Polônia, Bélgica)
Leshka vive em uma pequena e isolada vila no estreito de Bering e, como a maioria dos homens do local, trabalha como caçador de baleias. Assim que a internet finalmente chega por lá, a população predominantemente masculina passa a se reunir todas as noites para assistir a garotas a milhares de quilômetros de distância dançando pela webcam em sites eróticos. Para a maioria deles, isso é apenas uma maneira de se divertir, mas Leshka leva a atividade um pouco a sério. Quando se apaixona por uma das camgirls, ele começa a fazer de tudo para conseguir encontrá-la no mundo real.

O Outro Lado do Rio, de Antonia Kilian (Alemanha, Finlândia)
Hala é uma garota de 19 anos que foge para evitar um casamento forçado. Ela encontra abrigo do outro lado do rio Eufrates, no nordeste da Síria, em uma academia militar para mulheres. Inspirada pela promessa de liberdade para todas as mulheres, a jovem aprende a lutar. Após os militares curdos recuperam sua cidade do domínio do Estado Islâmico, Hala retorna para libertar as irmãs mais novas das mãos de seu pai.

Por um Punhado de Fritas, de Jean Libon, Yves Hinant (França, Bélgica)
Kalima Sissou, uma prostituta ocasional, foi assassinada em seu apartamento, localizado em um bairro violento de Bruxelas. Todas as evidências apontam para Alain, antigo açougueiro e ex-namorado da vítima, exceto pelo fato do investigado não se lembrar de nada do que aconteceu naquela noite. Graças à descoberta de algumas batatas fritas, uma Tupperware e uma imagem de Santa Rita, o inspetor Lemoine e seu grupo de policiais atrapalhados farão de tudo para incriminar Alain. Interpol, cuidado!

Sal em Nossas Águas, de Rezwan Shahriar Sumit (Bangladesh, França)
Para realizar sua mais recente instalação artística, Rudro viaja até uma ilha isolada em um manguezal no delta do Ganges, em Bangladesh, a um dia de barco e a um mundo de distância da capital do país, Daca. As ideias modernas e as esculturas realistas do artista encantam os jovens e a filha de seu senhorio, e são bem recebidas pelos pescadores locais e pelo líder da comunidade. Mas quando a pesca na região começa a se mostrar infrutífera, os anciões passam a culpar Rudro pela maldição das redes vazias. Nessa terra em extinção, onde o mar e o céu se fundem, uma tempestade está se formando e a mudança – bem-vinda ou não – se aproxima.

Nas salas de cinema
Para as sessões presenciais, o uso de máscara será obrigatório e também a apresentação do comprovante de vacinação completo, que será exigido na porta dos cinemas. A ocupação dos espaços será de 50% da capacidade máxima.

Locais:
Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso

Av. Dep. Emílio Carlos, 3641 – Vila dos Andrades

Cine Marquise

Av. Paulista, 2073 – Cerqueira César

Rua Fradique Coutinho, 361 – Pinheiros

Cinesesc

Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César

CIRCUITO SPCINE

Rua Cisplatina, 505 – Ipiranga

Centro de Formação Cultural – Rua Inácio Monteiro, 6.900, Cidade Tiradentes

CCSP

Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, São Paulo – SP, 01504-000

Espaço Itaú de cinema Augusta

Rua Augusta, 1475 – Cerqueira César

Espaço Itaú de cinema Frei Caneca

Shopping Frei Caneca – Rua Frei Caneca, 569 – Consolação

Espaço Itaú de cinema Pompeia

Rua Palestra Itália, 500 – Perdizes

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – Mooca

Petra Belas Artes

Rua da Consolação, 2423 – Consolação

Reserva Cultural

Av. Paulista, 900 – Bela Vista

Vão Livre do Masp

Av. Paulista, 1578 – Bela Vista

Ingressos dos cinemas:
*Segundas, terças, quartas e quintas: R$ 24 (inteira) | R$ 12 (meia).

*Sextas, sábados e domingos: R$ 30 (inteira) | R$ 15 (meia).

*Permanente Especial (para sessões de 2ª a 6ª feira até às 17:55h, inclusive – não

contempla finais de semana nem sessões noturnas): R$ 150

*Permanente Especial Folha (15% de desconto para o titular da assinatura para

sessões de 2ª a 6ª feira até às 17:55h, inclusive, não contempla finais de semana nem

sessões noturnas): R$ 127,50

*Pacote de 30 ingressos: R$ 340

*Pacote de 20 ingressos: R$ 250

Ingressos | Circuito com preços populares:

Circuito Spcine: CCSP – Centro Cultural São Paulo (salas Paulo Emílio e Lima Barreto) e

Biblioteca Roberto Santos: R$ 4 e R$ 2

Museu da Imigração do Estado de São Paulo: R$ 10

Copyright © 2021 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *