;

NOTÍCIAS

In:

Homem preso confessa que matou e queimou o próprio pai no Sertão alagoano

Por Assessoria

O delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti, Regional de Delmiro Gouveia, informou nesta sexta-feira (22) a prisão, em flagrante, de um homem, de 30 anos de idade, acusado de assassinar o próprio pai, no Povoado Santa Cruz do Deserto, no município de Mata Grande, no Sertão alagoano.

A prisão aconteceu na quinta-feira (21), durante uma operação integrada das polícias Civil e Militar, na cidade de Santa Brígida, na Bahia, quando o criminoso tentava fugir para o Estado de São Paulo.

As buscas pelo suspeito começaram depois que um irmão da vítima procurou o Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) de Mata Grande para informar sobre o desaparecimento da vítima e também que um sobrinho havia fugido, apontando-o como suspeito.

A partir disso, descobriu-se que o suspeito, a esposa e dois filhos menores haviam embarcado em um ônibus na cidade de Inhapi com destino a São Paulo.

“Seguimos em busca do ônibus e conseguimos localizá-lo em uma localidade conhecida como Quarenta, em Santa Brígida, na Bahia. Ao ser abordado, o suspeito confessou que havia assassinado o pai em Mata Grande”, relatou o delegado Rodrigo Cavalcanti.

O delegado adiantou que, depois de ser preso, o homem levou os policiais até uma propriedade do pai, situada no Povoado Santa Cruz do Deserto, em Mata Grande, onde o crime foi praticado. “Ele contou que matou o pai a pedradas na cabeça, e depois ateou fogo no corpo, segundo ele, para não deixar vestígios”, acrescentou Rodrigo Cavalcanti.

O homem, conforme o delegado, revelou também que ficou cerca de duas horas queimando o corpo do pai, mantendo o fogo com pedaços de madeira e pneus.

Alegou ainda que matou o pai porque tinha muitos desentendimentos com ele por conta de herança. O suspeito queria que o pai antecipasse em vida a herança que ele teria direito como filho.

Para o delegado, o crime está esclarecido e o acusado será indiciado por crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver, estando atualmente à disposição da Justiça.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *