;

NOTÍCIAS

In:

Cada Minuto Importa, é o tema da campanha da neurointensiva no mês de conscientização do AVC

Por Assessoria

No mês de outubro, a Neurointensiva, UTI Neurológica do Hospital Arthur Ramos lança a campanha: AVC cada minuto importa, em alusão ao dia mundial do AVC, que acontece em 29 de outubro. Infelizmente, essa continua sendo a principal causa de incapacidade no Brasil, segundo os dados da Organização Mundial de Saúde, por isso, cada minuto importa.

Dra. Rebeca Teixeira. Crédito: Ulisses Pinheiro

A neurologista Rebeca Teixeira, ressalta que o tempo é fundamental, porque pode evitar a morte ou incapacidade. Ela explica que a janela de tratamento deve ocorrer de três a quatro horas e meia após o início dos sintomas. “Ele ocorre com mais frequência em adultos mais velhos, mas a incidência em jovens e pessoas de meia idade tem crescido nas últimas décadas”, disse.

Os principais fatores de risco são tabagismo, hipertensão arterial, consumo excessivo de álcool, sobrepeso, sedentarismo, tabagismo, apneia obstrutiva do sono. Um estudo recente divulgado pela revista médica The Lancet, mostrou que o excesso de trabalho como causador de estresse pode estar relacionado a um maior risco de AVC em jovens.

A pesquisa concluiu que as pessoas que trabalhavam mais de 55 horas por semana, tinham uma chance 33% maior de ter AVC comparado aos que trabalhavam entre 35 e 40 horas semanais. “Na pandemia muitos jovens modificaram a rotina de trabalho e a confusão entre os ambientes profissional e casa provocou uma desordem entre expediente e folga, o que acarretou num excesso de trabalho”, analisou.

Rebeca Teixeira aponta que é importante reconhecer os primeiros sintomas e buscar atendimento médico imediatamente. “O sucesso do atendimento está diretamente ligado para onde o paciente será levado, por isso, é importante que ele busque uma unidade de saúde que tenha condições adequadas para atendê-lo, como é o caso do Hospital Memorial Arthur Ramos, que conta com uma unidade especializada (Neurointensiva) que possui um corpo médico de neurologistas e neurocirurgiões capacitados e com protocolo de atendimento estruturado para a fase aguda do AVC”, destacou.

Primeiros sintomas

Os primeiros sintomas do AVC são: fraqueza ou formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo, confusão, alteração da fala ou da compreensão, alteração na visão (em um ou em ambos os olhos), alteração do equilíbrio, coordenação, tontura ou no andar e dor de cabeça súbita, intensa e sem causa aparente.

A neurologista orienta que ao perceber os primeiros sintomas deve ligar imediatamente para o 192 (SAMU) e anotar o horário do início do primeiro sintoma. “Não espere melhorar ou diminuir os sintomas porque cada minuto importa”, afirmou.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *