;

NOTÍCIAS

In:

Live debate trajetória de alunos da modalidade Educação de Jovens e Adultos e Idosos

Por Nathanyel Araújo (estagiário)

Transmissão acontece pelo canal do youtube da Secretaria Municipal de Educação

Com o objetivo de discutir a trajetória de ensino dos alunos da Educação de Jovens e Adultos e idosos (Ejai), a Secretaria Municipal de Educação (Semed) realiza na próxima terça-feira (15), às 15 horas, uma ação formativa com o tema “Conhecendo e dialogando a trajetória do jovem na Ejai”. A live será transmitida no canal do youtube da Semed e tem como público de interesse: Docentes, gestores, coordenadores, estudantes e profissionais da educação da Ejai.

O  evento acontece por meio da Coordenadoria Geral de Educação de Jovens, Adultos e Idosos (CGEJAI), numa ação conjunta com o Centro Municipal de Formação da Coordenadoria Geral de Centros e Núcleos.

O debate contará com a participação das palestrantes Dra. Divanir Maria de Lima Reis, professora do Instituto Federal de Educação de Alagoas; e Dra. Valeria Campos Cavalcante, da Universidade Federal de Alagoas; e terá como mediadora a Coordenadora da Educação de Jovens e Adultos e idosos (Ejai), Ana Amélia Vilela.

As palestrantes irão debater a trajetória do jovem no ensino noturno na modalidade da Educação de Jovens, Adultos e Idosos, que, muitas vezes, esperam corrigir a distorção idade-série causado por inúmeras retenções resultantes de um desempenho insatisfatório, infrequência, evasão e exclusão. Segundo a Coordenadora Ana Amélia, a discussão do caminho percorrido por esses estudantes é um passo relevante para acolhê-los e encontrar novos caminhos pedagógicos que evitem a repetição histórica de exclusão.

“O conteúdo a ser abordado será a história, trajetória, acesso, permanência e sucesso do jovem para a conclusão do ensino fundamental, visando à possibilidade de avanço nos seus estudos até um possível acesso à universidade. A discussão também é pertinente e reflexiva para os profissionais da educação, proporcionando a contribuição e alinhamento com a prática pedagógica”, disse Ana Amélia.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *