;

NOTÍCIAS

In:

Artista plástico e muralista palmeirense ganha reconhecimento no Estado

Por Redação

Em Palmeira dos Índios o artista plástico e muralista palmeirense Léo Art’s vem se destacando em toda região com seu trabalho de pinturas e artes em murais.

Colecionando trabalhos importantes e ganhando os aplausos pela sua arte, Leo conta um pouco de sua história, que foi difícil no começo.

O artista que sempre buscava valorizar a cultura local há 4 anos atrás estava decidido a ir embora da cidade pois não estava obtendo o reconhecimento devido.

As dificuldades financeiras também se apresentavam e o “mercado da arte” na cidade não o valorizava. Numa última tentativa resolveu pintar um desenho em um muro para deixar na cidade como lembrança. O painel do muralista – primeira obra de arte que ganhou o público retratou a famosa turma do chaves. E o sucesso com o desenho pitoresco foi tão grande que logo começou a aparecer muitos serviços.

Depois veio a pintura de um painel com Charles Chaplin. Mais um sucesso e logo em seguida foi convidado para trabalhar na Secretaria de Cultura da prefeitura de Palmeira dos Índios, onde teve a oportunidade de mostrar seu talento, através de suas obras.

“Hoje são tantas obras de arte espalhadas pela cidade. Tem o painel cultural Ivan Barros na sede da OAB. A Santa Ceia na Serra do Cristo do Goiti, a sede da Secretaria de Cultura, O museu e biblioteca, o painel cultural da pizzaria do Bodaro, enfim, inúmeras obras espalhadas pela cidade e região”, disse Leo.

Leo Art’s pinta em estabelecimentos comerciais, academias, residenciais, mas enfatiza que prima por trabalhos em áreas externas. “Todo mundo pode ser contatado pela arte que está na rua, pega as pessoas desprevenidas”, justifica. Entretanto, se diz receptivo a  trabalhar com trabalhos para interiores. “A ideia é estar sempre abertos a novos projetos, novos espaços urbanos e comerciais”, entusiasma-se.

E se diz ciente com o cuidado que deve ter ao trabalhar com a rua. “Estou pintando em uma tela que é urbana, que tem referências ao redor que já dizem algumas coisas, contexto”, entende.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *