;

NOTÍCIAS

In:

A importância político-social feminina cresce no Município

Por Redação com Éder Patriota

Com uma população superior a 210 milhões de habitantes, esse ano ocorrerá mais uma eleição no Brasil, onde serão eleitos apenas prefeitos e vereadores, e em que a maioria do eleitorado brasileiro é do sexo feminino, por isso o peso maior está nas mãos delas, a exemplo do que ocorre em Palmeira dos Índios.

Conforme informações divulgadas no último dia 7 pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) houve um aumento de 825 eleitores em Palmeira dos Índios, em relação às eleições de 2018, ou seja, teve crescimento de 1,74%, dessa maneira 50.805 eleitores estão aptos a votar nas eleições de novembro deste ano e as mulheres continuam sendo a maioria, 27.665 e representam 54,45% dos votantes do município, onde aumentou esse número em 1,57% no comparado com 2018, já os homens somam 23.140 eleitores, o que equivale a 46,55% do quantitativo total de eleitores e subiu o seu índice no pleito desse ano em 1,74%.

Nas pessoas que tem o voto facultativo, 714 são jovens entre 16 e 17 anos, representando 1,4%, 3.287 eleitores estão acima dos 70 anos, representando 6,47% do eleitorado, assim como as estatísticas mostram que a maior parte do eleitorado de Palmeira dos Índios tem entre 45 a 59 anos, totalizando 12.075 eleitores (23,77%).

A reportagem da Tribuna do Sertão ouviu algumas personalidades importantes, para analisar a presença feminina na política palmeirense e concluiu que elas podem fazer a diferença nas eleições desse ano, por serem a maioria do eleitorado, duas pré-candidatas a prefeitura de Palmeira dos Índios e no mínimo duas dezenas de candidatas visando conquistar espaço na Câmara Municipal de Vereadores, onde apenas duas das atuais 15 vagas são preenchidas por mulheres.

 

Palmeira tem um histórico simbólico de participação da mulher na política. A primeira mulher eleita foi a professora Ananete Macedo, na década de 40. Após isso no fim da década de 70, outra mulher, Neusa Marques conseguiu quebrar o tabu e venceu uma eleição para a Câmara Municipal.

Depois dela Maria José Carvalho conseguiu derrotar caciques políticos e se tornou a primeira prefeita palmeirense.

A médica Verônica Medeiros foi vice-prefeita e assumiu também a prefeitura por 3 meses.

Marta Gaia eleita 4 vezes vereadora fez história com eleições consecutivas. Maria do Leite, também conseguiu a proeza da reeleição por 3 vezes. Depois dela, Sheila Duarte na legislatura passada e agora Joelma Toledo e Ana Adelaide França completam o rol feminino em destaque no parlamento na cidade de Palmeira dos Índios.

Sônia Beltrão é candidata pelo Patriota e foi juíza da cidade por 12 anos

Eleições 2020

Segundo a pré-candidata à prefeitura de Palmeira dos Índios pelo Patriotas e ex-magistrada Dra. Sônia Beltrão, ela vê com bons olhos, a mulher ser maioria no eleitorado palmeirense. “Vejo com bons olhos o aumento da presença feminina no espaço público, mas ainda há muito a ser superado, pois conforme informações divulgadas pelo IBG, as mulheres são a maior parte da população e do eleitorado, assim como a maior parte dos empregos são ocupados por elas. Por outro lado, as mulheres são minoritárias quando se trata de ocupar cargos políticos, ou de posições de direção nas empresas. Inclusive no meio político, é importante que as mulheres façam valer sua presença, como cidadãs, obviamente ninguém deve ser votado pelo simples fato de ser mulher, é preciso que essa mulher tenha experiência pública, sensibilidade e a coragem de enfrentar os incontáveis desafios que a política reserva, por isso acho que o Patriotas em Palmeira dos Índios pode contribuir bastante com o desenvolvimento de nossa cidade. Temos um grupo bastante comprometido com a renovação política, onde não cabe nenhum tipo de preconceito. Aqui não discutirmos a pessoa, mas as ideias. Estou convicta de que nós temos as melhores ideias”, justificou.

Mosabelle Ribeiro, ex-primeira dama de Palmeira por 8 anos é pré-candidata a prefeita

Já a pré-candidata pelo PTB Mosabelle Ribeiro, defende que as mulheres precisam ocupar cada vez mais seu espaço. “Na política precisamos ser mais presentes e só com a participação maciça será possível fomentar políticas públicas que atendam a todos, principalmente agora, onde a atual administração municipal trouxe vários retrocessos e abandono das políticas voltadas para as mulheres”, destacou.

Já sobre a presença de duas mulheres concorrendo à prefeitura, Ribeiro diz que é bastante importante essa situação. “Em breve vou apresentar à população um programa de governo de verdade, que tenha viabilidade e com fé em Deus e a participação do povo, vamos mudar a realidade atual”, pontuou.

Ângela Garrote eleita deputada com voto majoritário de Palmeira dos Índios

A deputada estadual mais votada da história de Palmeira dos Índios Ângela Garrote onde teve mais de 10 mil votos na eleição passada sempre enaltece o papel feminino em suas falas no parlamento alagoano e ao assumir o mandato foi eleita por seus pares como procuradora da mulher na Assembleia, importante função em defesa dos direitos da mulher alagoana.

Opinião

De acordo com o analista político Marcelo Bastos, a participação da mulher na política em Alagoas é pouco expressiva, pois mais de 50% do eleitorado local é feminino. “A bancada feminina na Assembleia Legislativa é bem pequena com cinco deputadas dos 27 parlamentares, uma deputada federal dos nove que temos em Brasília é mulher e conforme a legislação vigente 30% das vagas são reservadas as mulheres, mas não é fácil isso ser cumprido, onde a maioria das mulheres eleitoras votam em homens e a sua participação em cargos eletivos é bastante incipiente de um modo geral”, argumentou.

Compartilhe:
Tags: ,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *