;

NOTÍCIAS

In:

Saúde atua no controle de animais transmissores de doenças

Por Graziela França

Agentes em trabalho educativo nas unidades antes da pandemia. Foto: Ascom/SMS

Responsáveis pelo trabalho com a população na prevenção e controle de animais que são transmissores de doenças, os agentes de combate às endemias da Secretaria Municipal de Saúde retornam às visitas domiciliares em áreas consideradas de maior risco nesta quinta-feira (16).

De acordo com a Gerência de Doenças Transmitidas por Vetores e Animais Peçonhentos,  foi realizado um estudo epidemiológico e identificadas as áreas consideradas de médio e alto risco de transmissão da dengue levando em conta os dados até a 23ª semana de 2020. Por conta da pandemia de Covid-19, as equipes mantinham o trabalho de campo no combate à dengue em condição de sobreaviso e atuando para verificar denúncias realizadas.

Os agentes de endemias seguirão as orientações do Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde que recomendam que o trabalho seja desenvolvido no peridomicílio dos imóveis (lateral, frente e quintal), sem entrar nos domicílios, utilizando os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessáriosConfira as recomendações aos agentes de endemias.

Além do controle do Aedes Aegypti, também são realizados controle da leishimaniose, triatomíneos (barbeiro), dos roedores e escorpiões. “Vale destacar que a base do trabalho dos agentes de endemias é educativo. Eles vão orientar  os proprietários em como lidar e como desenvolver o controle de vetores e animais peçonhentos. Sendo assim, é fundamental que a população cumpra seu papel, adotando os cuidados preventivos em suas residências e em suas comunidades”, destaca a gerente de Doenças Transmitidas por Vetores e Animais Peçonhentos do Município, Carmen Samico.

Disque-denúncia

A SMS disponibiliza ainda para a população o Disque Denúncia pelo número 3312-5495, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, para que sejam feitos os registros de casos relacionados a terrenos ou imóveis abandonados, ou sob suspeita de focos do mosquito. A ligação gera um número de protocolo que pode ser acompanhado pelo usuário do serviço.

Vacinação antirrábica

As vacinas antirrábicas foram encaminhadas pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) no dia 30 de junho. A previsão é que tenha campanha em outubro, mas os donos podem vacinar seus cães e gatos na Unidade de Vigilância em Zoonoses, localizada na Cidade Universitária, de segunda a sexta, das 8h às 12h.

Confira o risco para cada área

ÁREA DE BAIXO RISCO – 32 bairros: Jaraguá, Trapiche, Prado, Canaã, Gruta de Lourdes, Jardim Petrópolis, Pinheiro, Santo Amaro, Ouro Preto, Mutange, Fernão Velho, Chã de Bebedouro, Petrópolis, Rio Novo, Santa Amélia, Serraria, Barro Duro, Feitosa, São Jorge, Benedito Bentes, Antares, Santa Lúcia, Cidade Universitária, Clima Bom, Santos Dumont, Garça Torta, Guaxuma, Cruz das Almas, Jacarecica, Riacho Doce, Ipioca e Pescaria.

ÁREA DE MÉDIO RISCO – 14 bairros: Mangabeiras, Jatiúca, Ponta da Terra, Ponta Grossa, Poço, Levada, Vergel do Lago, Pontal da Barra, Pitanguinha, Farol, Bom Parto, Chã da Jaqueira, Jacintinho e Tabuleiro dos Martins.

ÁREA DE ALTO RISCO – quatro bairros: Pajuçara, Ponta Verde, Centro e Bebedouro.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *