;

NOTÍCIAS

In:

Ensino remoto ou à distância

Por Arnaldo Niskier

Na educação brasileira, tudo que não é presencial é à distância, e esta pode ter duas características: 1) remota: 2) on-line. A educação presencial, de que andamos saudosos, por causa da pandemia, é a que acontece em salas de aula.

A educação remota é realizada pelas escolas. A educação on-line, que é  o antigo ensino à distância (EAD), é aquela em que o aluno entra sozinho na Internet e tem a ajuda de tutores. Fizemos, de modo proposital, a diferenciação entre uns e outros. São elementos distintos.

Como acontece hoje nos Estados Unidos, ensino hbrido é aquele que mistura os estilos, e  isso já chegou ao nosso país. A sua aplicação depende do grau de amadurecimento de cada escola.

A educação à distância tem metodologia, estratégias e materiais específicos, como resultado de uma experiência de muitos anos. A existência de videoaulas foi a fórmula encontrada de ocupar a mente dos alunos, mas isso não significa necessariamente que todos tirem proveito da situação. A realidade mostra que há alunos que ficam fora dessa troca de experiências. Eles irão exigir, quando se voltar à  realidade presencial, um cuidado especial por parte dos seus professores.

Nesse momento de transformação, gostaríamos de chamar a atenção para o  nascimento, na escola, de uma figura muito importante, o desenhista instrucional. Ele constrói os seus materiais pedagógicos pensando no aluno à distância. Como um pormenor que não pode ser descuidado: o lado emocional dos estudantes, naturalmente mexido com a implantação do ensino híbrido.

Quem vive a realidade das nossas escolas sabe que se pode utilizar plataformas gratuitas, como a Moodle, muito popular no mundo inteiro. Esse fato é um alerta para a existência de inovações. Quem estiver somente centrado no ensino presencial corre o risco da superação, até porque os alunos, com o seu natural instinto de curiosidade, tendem a gostar (e muito) do emprego de novas tecnologias. Pena é que não haja uma distribuição mais equilibrada de Internet por todas as nossas regiões. Mas é um projeto de governo.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *