;

NOTÍCIAS

In:

Profeta Econômico

Por Laurentino Veiga

Roberto de Oliveira Campos, autor do livro A lanterna na Popa, 1.500 páginas, o levou à Academia Brasileira de Letras ( ABL), embaixador do Brasil nos Estados Unidos da América do Norte/ Inglaterra, natural  de Cuiabá ( Mato Grosso), no dia 17 de abril de 1917, serviu ao maior/melhor presidente do Brasil – Juscelino Kubistchek, falecido no dia 22 de agosto de 1976, implementou o Plano de Metas – 50 Anos em Cinco – levando à modernidade e, portanto, criou-se Brasília capital Universal.

Por outro lado, serviu ao governo do presidente-general Castelo Branco como ministro do Planejamento durante 36 meses. E, sendo assim, teve participação ativa na criação do Banco Central do Brasil ( 31.12.1967), do extinto Banco Nacional da Habitação ( BNH), a Caderneta de Poupança, o Sistema Financeiro de Habitação, o FGTS – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. Ademais, elaborou o Estatuto da Terra, a Reforma bancária, a Lei da Remessa de Lucros que, por sua vez, regulamentou o mercado de capitais. A Lei das Sociedades Anônimas que, por sinal, embasou o neocapitalismo brasileiro. E, finalmente, propôs a unificação da Previdência Social.

Na política partidária, foi senador constituinte  pelo seu Mato Grosso( 1982/1980), deputado federal por dois mandatos pelo Rio de Janeiro ( 1990/1998) e, portanto, na tribuna nacional defendeu suas ideias de Economista renomado. Isto é, defendeu as forças de mercado apregoado por Adam Smith ( 1776) quando lançou seu festejado livro A riqueza das nações.

Segundo seu colega da ABL – Murilo Melo Filho, “ Ao longo de todos esses anos, seus mais intransigentes adversários jamais fizeram a menor restrição ou levantaram a mínima suspeita sobre a sua inatacável honestidade de homem público, que a rigor, deveria ser uma regra geral, mas que, agora, infelizmente, é uma rara exceção”.

Concluiu o acadêmico: “ E morreu pobre, numa admirável lição e num magnífico exemplo de honradez – uma mercadoria que, infelizmente, hoje anda muito escassa no cenário brasileiro, tão marcado por tantas CPIs e por tantas corrupções. Aos 82 anos de idade, ainda tinha  de trabalhar para viver, quando sofreu o AVC – Acidente Vascular Cerebral”.

O “ Bob Fields” foi, em vida, o Profeta Econômico que deseja ver o Brasil alcançando o progresso diminuindo a participação estatal na sua economia. Brilhantemente acertou mais de que o velho Marx. Ou seja, previra o fim do capitalismo errando em número, gênero e grau.Ele, pelo contrário, acertou prevendo a globalização econômica nos países ocidentais. Hoje, vê-se um mundo capitalista competitivo, açambarcando a Europa, América Latina e países asiáticos.

No seu valoroso livro – Reflexões do Crepúsculo – escreveu com propriedade sobre as causas da pobreza do Brasil, Cinco ismos fatais, O Brasil na conjuntura mundial, a Economia brasileira e seus paradoxos, a Previdência deve ser privatizada e outras temáticas que estão sendo discutidas nos dias atuais. E, portanto, profetizou com segurança e altivez os destinos da Pátria Amada verde-amerela.

Segundo Josué Montello, “ A primeira vitória pessoal de Roberto Campos consistiu em conciliar em sua natureza o economista e o diplomata.Este, a defender a concórdia: aquele a batalhar por suas convicções”. Deixou o mundo de sua ortodoxia no dia 9 de outubro de 2001.A poeira do tempo não conseguiu apagar a memória do Profeta Econômico.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com