;

NOTÍCIAS

In:

Alfred Marshall

Dentre os economistas notáveis inseridos na História do Pensamento Econômico, encontram-se Adam Simth, Malthus, Say, Hegel, David Ricardo, Karl Marx, Engels, Walras, Lênin, Shupeter, Keynes, Leontief, Samumuel, Mendel. Na conta brasileira figuram Eugênio Gudin, Roberto de Oliveira Campos, Celso Furtado, Mário Henrique Simonsen, Delfim Netto, Pedro Malan, Edmar Bacha, Pérsio Arida, Armínio Fraga, Cláudio Moura Castro, Maílson da Nóbrega, Bresser Pereira, Jorge Migglioli, Eliane Cardoso, Maria da Conceição Tavares, Otávio Gouveia de Bulhões( in memoriam), Hélio Beltrão, Gustavo Ioschp, Nilson Holanda, José Artur Justo, Cícero Veiga da Rocha, radicado no vizinho Estado de Sergipe, Evilásio Soriano de Cerqueira( In Memoriam), José Ribeiro Filho e outros.

Nesse sentido, trago à tona a figura importantíssima de Alfred Marshall nascido em 26 de junho de 1842 em Clapham, bairro de Londres, cujos pais foram William Marshall/ Rebeca Oliver. Diga-se, de passagem, a matemática foi seu principal instrumento analítico/metodológico, além de ter sido o caminho para chegar à Economia. Foi através dela que conseguiu transformar os dados de Adam Smith, David Ricardo, Stuart Mill em uma máquina moderna de pesquisa.

Marshall, por sua vez, aplicou sua excelsa inteligência no campo da atividade econômica. Desse modo, o consumidor obteria uma renda por meio de um processo de equilíbrio entre a desutilidade do esforço e a utilidade derivada do gasto da renda obtida com essa desutilidade. Assim, o modelo de seu gasto seria determinado pela utilidade obtida por uma mercadoria, à custa da utilidade perdida ao não comprar outras mercadorias.

Em sua análise do equilíbrio entre a oferta e a procura, Marshall deu sua contribuição ao problema do valor e do preço. Ele distinguiu diferente períodos de tempo em que as forças do mercado tendem a estabelecer equilíbrio. O valor de mercado, determinado quando a oferta é fixa; e os valores normais, determinados quando a oferta pode aumentar mediante estoque de trabalho ; e o longo prazo quando há modificações no processo produtivo. Finalmente, sugere que o valor deveria ser considerado não-estático quando há mudança em todos os dados econômicos: população, gastos, técnica, capital e organização.

Por essas razões, nota-se a distinção entre diferentes graus de equilíbrio da oferta e da procura que, por sinal, ajudou Marshall a relacionar todas as categorias econômicas, juntando os problemas da oferta, da procura e do preço das mercadorias aos dos fatores de produção. Dessa forma, ele relacionou a troca, a produção e a situação estática quando há mudança em todos os dados econômicos: população, técnica, capital e organização.

Por outro lado, Marshall também distinguiu entre outros fatores que determinam os preços àqueles que são determinados pelos preços. Inclusive, mostrou que essa distinção não era absoluta, a não ser no caso da renda da terra( sempre determinada pelo preço), pois dependia de períodos de tempo. Porém, a curto prazo, a remuneração de muitos fatores é semelhante à remuneração da propriedade do solo, o que chamou de quase renda.

Fazendo um balanço sobre seu acervo intelectual, pode-se afirmar que ele herdou, criou, bem como acrescentou à doutrina e análises econômicas grandes avanços positivos. Se não tivesse feito dessa manteira não teria sistematizado, ampliado seus estudos no campo da Economia Politica Clássica.
Referindo-se ao capital a ao trabalho, Marshall afirmou que, a longo prazo, as remunerações desses fatores deveriam ser iguais a seus custos marginais: o juro tenderia a ser igual ao sacrifício marginal da poupança e , consequentemente, os salários e dos juros deveria ser considerada como parte da uma teoria completa de distribuição.

Keynes, seu maior discípulo em Cambridge, e seu mais eminente biógrafo, refere-se à sua descoberta de um completo sistema copernicano no qual todos os elementos do universo econômico são mantidos em seus lugares por mútuo contrapeso e interação. O próprio Marshall já exprimia essa concepção das posições mutuamente dos fatores econômicos, mesmo antes da publicação de princípios, comparando o universo econômico de todo corpo no sistema solar afeta e é afetado pelo movimento de todo outro. Assim , é com os elementos do problema da Economia Política.

Pode-se afirmar que a contribuição de Marshall ao progresso da Ciência Econômica foi de grande importância no contexto da História Econômica. Juntou-se a Carnot que é considerado um dos percursores da Econometria. Ambos foram os fundadores do conhecimento moderno em prol dos avanços ocorridos na ciência severa da escassez. Organização: Francis Lawrence

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *