;

NOTÍCIAS

In:

‘Governo é facilitador das demandas dos movimentos sociais’, afirma secretário

Por Ivan1
No encontro com as lideranças dos movimentos, secretário Fábio Farias deixou clara a disposição do governo em ouvir e buscar soluções para questões agrárias (Foto: Thiago Sampaio)

No encontro com as lideranças dos movimentos, secretário Fábio Farias deixou clara a disposição do governo em ouvir e buscar soluções para questões agrárias (Foto: Thiago Sampaio)

    O secretário-chefe do Gabinete Civil, Fábio Farias, recebeu na manhã desta quarta-feira (1), representantes dos Movimentos Sociais que solicitaram apoio do governo para viabilizar junto ao Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL) que as terras da massa falida do Grupo João Lyra sejam destinadas às famílias acampadas no Estado. Atualmente, cerca de 5 mil famílias estão acampadas nas áreas das usinas Guaxuma, Uruba e Laginha.
“O Gabinete Civil é um facilitador de todas as demandas que vocês trazem ao governo, não só com as secretarias, mas com as demais instituições – Judiciário, Ministério Público e Governo Federal”, declarou o secretário Fábio Farias.
“Unificamos nossas bandeiras para mais uma vez apontar a Reforma Agrária como alternativa de vida digna para quem vive no campo e na cidade”, afirmou José Roberto, representante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
Durante o encontro, Marcos Antônio de Lima Araújo Silva, o Marron, do Movimento Via do Trabalho (MVT), também agradeceu o trabalho que tem sido feito pelo Instituto de Terras de Alagoas (Iteral) e pelo Gabinete Civil, principalmente ao atenderem os movimentos sociais.
A reunião aconteceu na sala dos Conselhos, no Palácio República dos Palmares, com a presença do diretor-presidente do Iteral, Jaime Silva, da secretária executiva do Comitê de Conflitos Agrários, Edenilsa Lima, e representantes do Centro de Gerenciamento de Crises da Polícia Militar de Alagoas, Trabalho e Liberdade (MTL), Movimento de Luta pela Terra (MLT) e Movimento Trabalho e Liberdade (MTL).

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *