NOTÍCIAS

In:

Brasil tem péssima estreia em Ecaterimburgo e melhores judocas ficam em sétimo

O judô do Brasil teve um dia para ser esquecido, nesta sexta-feira, no primeiro dos três dias de disputas do Grand Slam de Ecaterimburgo, na Rússia. Com sete judocas no tatame, incluindo a campeã olímpica Sarah Menezes e a medalhista de ouro olímpica Rafaela Silva, o País não passou de dois sétimos lugares obtidos por Eric Takabatake (60kg) e Daniel Cargnin (66kg).

Takabatake estreou em solo russo com vitória nas punições sobre o húngaro Csaba Szabo e derrotou o turco Samet Kumtas com um waza-ari no golden score das oitavas de final. Nas quartas, o brasileiro foi superado pelo japonês Yuma Oshima, por ippon, tendo que buscar a recuperação na repescagem pelo bronze. Enfrentou o russo Albert Oguzov, que venceu o confronto com um waza-ari.

Em uma chave menor, Cargnin precisou de uma vitória sobre o eslovaco Matej Poliak, por ippon, para chegar às quartas de final, onde caiu para o francês Kilian Le Blouch, que terminou o dia com o ouro na categoria meio-leve. Na repescagem, o brasileiro fez uma luta equilibrada contra o japonês Taroh Fujisaka, definida no golden score com um waza-ari para o adversário.

Outros dois judocas brasileiros conseguiram vencer em Ecaterimburgo, mas pararam logo na segunda luta. Phelipe Pelim (60kg) protagonizou um dos ippons mais bonitos do dia derrotando Hiu Fung Leung, de Hong Kong. Nas oitavas de final, porém, não conseguiu passar pelo georgiano Lukhumi Chkhvimiani.

“Infelizmente, perdi a segunda luta para o atleta da Geórgia e não pude disputar medalha. Mas seguimos firmes, buscando evoluir e aprendendo com as derrotas. Agradeço a todos que estavam na torcida”, escreveu Pelim em suas redes sociais.

Assim como ele, Eleudis Valentim (52kg) estreou com vitória por ippon sobre a russa Yulia Kazarina, mas parou nas oitavas de final diante da israelense Gefen Primo.

DECEPÇÃO – Desempenho pior tiveram Rafaela Silva (57kg), Nathália Brígida (48kg) e Sarah Menezes (52kg), que decepcionaram e não passaram da estreia. As duas primeiras haviam subido ao pódio na competição anterior, o Grand Slam de Dusseldorf, na Alemanha.

Brígida não passou pela portuguesa Maria Siderot, que venceu com um waza-ari. Rafaela foi surpreendida pelo ippon da anfitriã Daria Mezhetskaia e Sarah sofreu três punições no duelo contra Diyora Keldiyorova, do Usbequistão.

A competição continua neste sábado e o Brasil terá outras seis chances de buscar medalhas na Rússia com Eduardo Barbosa (73kg), Marcelo Contini (73kg), Eduardo Yudy (81kg), Alexia Castilhos (63kg), Ketleyn Quadros (63kg) e Maria Portela (70kg).

Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com