NOTÍCIAS

In:

As chamas do descaso que destroem o Museu Xucurús

Por Redação

Não é preciso fogo como no Museu Nacional do Rio de Janeiro para destruir a memória do povo de Palmeira dos Índios que se encontra no Museu Xucurús. É bastante o descaso do prefeito Júlio Cezar (PSB) que após quase dois anos de mandato se perdeu em sua gestão abandonando os valores culturais da terra palmeirense.

O descaso não se restringe apenas aos equipamentos culturais (vide matéria aqui sobre denúncia do Conselho Municipal de Cultura), mas a vários outros aspectos dessa tão importante área da gestão pública que envolve os valores intrínsecos à terra e a gente palmeirense.

O Museu Xucurús é um dos exemplos mais gritantes do pouco valor dado à cultura palmeirense. Lá vemos abrigadas peças sacras e “profanas”que pertenceram à memória das famílias palmeirenses e hoje se constituem em patrimônio público, mas, que irresponsavelmente está entregue ao abandono. As imagens que mostramos abaixo nessa fotorreportagem são apenas algumas das dezenas registradas no local que entristece o palmeirense e principalmente o turista que visita as dependências da Igreja do Rosário.

No local se vê infiltrações, mofo, estruturas com rachaduras, vidros de janelas e portas quebrados, muita poeira e até cupim destroem o acervo cultural do povo de Palmeira dos Índios.

A igreja que pertence a Diocese foi construída por escravos ainda no século XIX e abriga o Museu desde 1972. De lá para cá já houve várias tentativas para mudar a sede do Museu e devolver o temploà paróquia, mas nada foi feito pelos gestores anteriores, nem o atual que simplesmente ignora a cultura tradicional da cidade.

Existem várias alternativas e muitas sugestões já foram dadas para separar o acervo religioso do profano e inclusive dar a Palmeira dos Índios um novo museu com peças restauradas e preservadas como acontece em qualquer lugar do mundo em que se preze pela memória de sua terra e sua gente.

Intelectuais, artistas e cidadãos palmeirenses já encamparam a luta por essa mudança e preservação do patrimônio imemorial do povo palmeirense, mas infelizmente o governo municipal faz ouvidos de mouco, relegando para o descaso aquilo que é mais caro a comunidade local.

Uma das que lutam pela mudança do Museu Xucurús da Igreja para outro lugar é a desembargadora Elisabeth Carvalho, que viveu desde a infância em Palmeira dos Índios e está indignada com a situação.

O promotor de Justiça aposentado e escritor Ivan Barros, membro da Academia Alagoana de Letras é outro que se manifesta pela preservação do acervo do museu que também está sendo subtraído e pela mudança de local.

Veja algumas fotos do descaso


Compartilhe:
Tags: ,,,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com